Três coisas a saber sobre a interpretação na Europa

 | Experts

A Europa é, de longe, a região do mundo com o maior número de intérpretes de conferência, devido sobretudo ao peso das organizações internacionais e à importância dada ao multilinguismo, o que contribui para a formação de intérpretes profissionais. Para além disso, cada país tem um sector privado, porventura dinâmico, com intérpretes bastante polivalentes. Apesar desta oferta variada, se  está a pensar organizar a sua próxima reunião na Europa, convém evitar certas armadilhas. Danielle Grée explica-lhe como.

Ein hervorragender Standort für Konferenzen und Konferenzdolmetscher

Devido à presença de centenas de organizações internacionais na Europa, não faltam, a priori, intérpretes de alto nível no continente. Contratados por grandes bancos, laboratórios farmacêuticos e pilares da indústria nacional, muitos são os intérpretes freelance que trabalham para o mercado privado. Ainda assim, qualquer grande evento internacional ou encontro desportivo mundial pode rapidamente esgotar o mercado para certas línguas. Eis o que é preciso saber:

Conhecer as cidades de conferência na Europa

Três grandes cidades lideram a lista onde se encontra o maior número de intérpretes profissionais: Bruxelas (com uma reserva de freelancers recrutados essencialmente para a União Europeia), Paris (com a UNESCO, a OCDE e o Banco Mundial) e Genebra (sede das instituições da família das Nações Unidas). Cada uma destas cidades capitais é um importante centro de conferências, com grandes escolas de formação de intérpretes de alto nível, várias instituições internacionais que recrutam diariamente dezenas de freelancers e beneficiam de um mercado privado muito dinâmico. A Associação Internacional de Intérpretes de Conferência (com acordos assinados com a maioria destas instituições) identifica cerca de 300 intérpretes em cada uma destas cidades. É portanto nas cidades de Paris, Bruxelas ou Genebra que encontrará mais facilmente intérpretes locais.

Vêm a seguir outras cidades com recursos profissionais mais reduzidos como Roma, Viena, Berlim ou Londres, por exemplo. Apesar de serem grandes cidades dinâmicas e capitais onde ministérios e serviços governamentais recorrem abundantemente a intérpretes, não contam com uma presença tão acentuada das organizações internacionais (ainda que a FAO, a OSCE ou a OMI estejam aí sediadas). De forma geral, para todas as línguas, o mercado não ultrapassa uma centena de intérpretes.

Por fim, estão outras cidades que merecem ser tidas em conta. Centros económicos onde o sector privado é particularmente dinâmico e onde encontrará alguns intérpretes (geralmente cerca de trinta) extremamente versáteis. Munique e Zurique entram nesta categoria, tal como Milão e Florença, Barcelona, Madrid, Amsterdão e Haia, ou ainda a cidade de Lisboa ou Istambul. Os profissionais asseguram a tradução simultânea nas mais variadas conferências, da finança à medicina legal, passando pelo futebol ou o resseguro.

Evitar datas fatídicas

Mesmo que existam intérpretes em grande número, convém ter presente o calendário dos grandes eventos nacionais e internacionais para tirar partido das disponibilidades dos freelances locais.

Se tem previsto organizar uma reunião multilingue durante as Plenárias do Parlamento Europeu, saiba que as instituições europeias reservam centenas de intérpretes com mais de 6 meses de antecedência para as línguas de UE. Será ainda possível, sem grandes dificuldades, encontrar tradutores bilingues no mercado de Bruxelas ou de Estrasburgo, mas será praticamente impossível recrutar, onde quer que seja, certas línguas « minoritárias » como o maltês ou o esloveno.

O mesmo se aplica a um evento que coincida com a Conferência Internacional do Trabalho organizada anualmente pelo BIT em Genebra no mês de junho. Esta conferência agrupa cerca de trezentos intérpretes e será muito difícil conseguir intérpretes de chinês, árabe ou russo para as mesmas datas. Da mesma forma, a Conferência geral da UNESCO absorve em Paris um grande número de intérpretes, em novembro, a cada ano ímpar ou ainda o Conselho e a Conferência da FAO em Roma com os inúmeros « side events » que absorvem grande parte dos recursos. Durante estes eventos, torna-se até difícil encontrar tradutores simultâneos na língua do mercado local!

E não esqueçamos os grandes eventos desportivos: Jogos Olímpicos, Euro, Mundial de Futebol, que monopolizam grande parte dos recursos locais assim como os intérpretes especializados. Convém pois planear a organização com muita antecedência para recrutar todas as equipas.

Navegar neste labirinto

Como terá percebido, não é fácil encontrar o rumo. Mas o seu intérprete-consultor pode ajudar.

Conforme explicado, os grandes eventos exigem sobretudo intérpretes multilingues, o que significa que os intérpretes bilingues (língua do país + inglês, por exemplo) poderão estar ainda disponíveis. Mas não esqueça que, apesar da conhecida abundância de intérpretes na Europa, será sempre um desafio recrutar profissionais para línguas raras como o coreano ou até certo ponto para o russo, o japonês, o chinês ou o árabe.

Alguns mercados especializaram-se em determinadas áreas: Munique nas patentes industriais, Lausanne no desporto, Zurique nos serviços bancários de seguros, Berna ou Bruxelas, enquanto capitais, em reuniões de partidos políticos, lobbies e sindicatos.

Por fim, se o seu evento precisa de intérpretes em línguas de sinais, não deixe de solicitar este serviço com pelo menos três meses de antecedência. Um pormenor: não existe a língua de sinais inglesa! Mas Maya de Wit, o membro da Calliope especializado na língua de sinais, poderá aconselhar o British Sign Language (BSL), o American Sign Language (ASL) e muitas outras línguas de sinais. Saiba também que existem grandes diferenças entre a versão alemã da língua de sinais e a versão suíço-alemã.

E por que não juntar o útil ao agradável e organizar o seu encontro num país com locais de conferências espetaculares como Portugal (tanto no continente como na Madeira e nos Açores) ou Dublin, com o seu novo Centro de Convenções ultra moderno e auditório com mais de 2000 lugares? Sem esquecer a Itália, que oferece ainda arte e gastronomia, do Vale de Aosta até à Sicília, passando pelo Tirol do Sul e a Apúlia.

Calliope-Interpreters, rede mundial de intérpretes-consultores, pode guiá-los neste labirinto, indicando as datas problemáticas, as combinações linguísticas raras, os prazos a respeitar, os obstáculos a evitar, etc. Contacte-nos quanto antes para falarmos do que precisa.

Partilhe este artigo: