Três coisas importantes sobre a interpretação simultânea na América do Sul

 | Melhores práticas de interpretação

Para conferências, eventos ou encontros internacionais na América do Sul, Verónica Pérez Guarnieri poderá indicar os melhores meses do ano, as combinações linguísticas mais comuns para a interpretação e alguns aspectos da língua espanhola a ter em conta.

Meses mais movimentados para conferências e eventos

O equinócio de setembro marca o momento em que o Sol cruza o equador celeste - a linha imaginária acima do Equador - de norte a sul. Os delicados jacarandás florescem em Buenos Aires, Montevidéu e Lima e as perfumadas magnólias em Santiago do Chile.

O clima temperado oferece um refúgio contra os frios dias do fim do outono do hemisfério norte, de modo que setembro, outubro e novembro são os meses ideais para a realização de eventos na América do Sul. Por isso, há inúmeras conferências e eventos internacionais durante este período.

As Reuniões Anuais do Banco Mundial e do FMI aconteceram em Lima, em outubro de 2015. No mesmo mês - e, pela primeira vez nas Américas - foi realizada na mesma cidade o XII Fórum Internacional de Tradução e Interpretação Jurídica, organizado pela Federação Internacional de Tradutores (FIT) naquela cidade. Os preparativos já estão em andamento para os Jogos Olímpicos de Verão da Juventude, em outubro de 2018, na cidade de Buenos Aires.

Os intérpretes simultâneos são geralmente recrutados com bastante antecedência para tais eventos. Os hotéis também ficam lotados rapidamente. Em Buenos Aires as taxas de ocupação hoteleira chegam a ultrapassar 90%, entre os meses de setembro e novembro. Em suma, ao organizar um evento na América do Sul durante esses meses, é uma boa ideia começar a planejar cedo.

Contratar intérpretes com idiomas considerados exóticos ou raros

Embora a interpretação de ida e volta em espanhol e inglês seja bastante comum na América do Sul, contratar outros idiomas pode apresentar desafios. Italiano e francês são considerados exóticos nesta região e é extremamente difícil contratar intérpretes com russo, chinês e árabe. Existem poucos intérpretes altamente experientes com árabe e chinês na Argentina e eles trabalham somente a partir do espanhol.

Caso seja necessário interpretar do árabe, russo ou chinês para o inglês, os intérpretes deverão vir da América do Norte ou da Europa. Isto deve ser levado em consideração ao planejar um evento na América do Sul porque pode ter um impacto importante no orçamento. Nem sempre os organizadores de evento europeus entendem que a combinações entre italiano e inglês, russo e inglês ou chinês e inglês são extremamente raras ou inexistentes na América do Sul.

O idioma espanhol usa cerca de 20% mais palavras do que o inglês

O espanhol e outras línguas latinas usam, em média, cerca de 20% mais palavras do que o inglês para transmitir a mesma mensagem. Essa diferença pode ter implicações significativas na interpretação simultânea. Se os oradores falarem em inglês rápido demais, os intérpretes deverão falar ainda mais rápido!

 

Os oradores devem ser orientados a falar um pouco mais devagar, de maneira que os intérpretes tenham tempo suficiente para fazer bem o seu trabalho. Assim, os intérpretes poderão comunicar a mensagem do orador de maneira correta e precisa.

Calliope-Interpreters pode ajudar a maximizar a qualidade dos eventos realizados na América do Sul sem extrapolar o seu orçamento. Entre em contato conosco sobre o seu evento.

Jacarandás em flor em Buenos Aires, em novembro.

Verónica Pérez Guarnieri, Membro da AIIC. Responsável pela região da América do Sul, exceto Brasil. Verónica é o membro da Calliope-Interpreters baseada em Buenos Aires, Argentina.

 

Partilhe este artigo: