Gestão da interpretação como fator de risco em um evento multilíngue

 | Melhores práticas de interpretação

Nos últimos anos, a interpretação de conferência tornou-se uma valiosa ferramenta de comunicação global. Caso seja bem-feita, o serviço irá contribuir para o sucesso de uma reunião internacional. Em caso contrário, haverá o risco de uma falha de comunicação.

As grandes conferências são únicas, mas todas contêm riscos inerentes que devem ser administrados. Os coordenadores da reunião estão cientes desses riscos e organizam-se para enfrentá-los, porém muitas vezes o serviço de interpretação é negligenciado ou considerado como de baixo risco. Este é, sem dúvida, um grande erro! E caso não seja dada a devida importância à interpretação o sucesso da sua conferência internacional poderá ser comprometido.

Por exemplo, um especialista de renome mundial foi convidado para uma palestra. Meses de negociação foram necessários para assegurar a presença do grande especialista. Uma ou duas semanas antes da reunião, o organizador da conferência pede a uma agência que organize a parte de interpretação. Os melhores profissionais já estão ocupados e os intérpretes que estão livres têm menos experiência e pouco tempo para se prepararem. E a reputação do organizador da conferência está em jogo. Neste caso, o investimento inicial poderá ser seriamente comprometido se a tradução não reproduzir fielmente a mensagem do orador.

Valerá a pena confiar tamanho risco de reputação a um não-especialista?

A gestão de risco em três etapas principais

A gestão de riscos normalmente consiste nas seguintes etapas:

  1. Identificar quais os elementos de um evento que podem implicar risco
  2. Determinar quais são os riscos
  3. Criar uma estratégia para minimizar ou eliminar o risco, sempre que possível

Considerar a interpretação de conferência sempre como um fator de risco:

Etapa 1:  Reconhecer a interpretação como uma atividade que acarreta risco

O objetivo das reuniões internacionais é comunicar, compartilhar, trocar ideias. Tais eventos levam tempo e dinheiro para organizar. Todos os esforços correm o risco de ser desperdiçados se os intérpretes não forem escolhidos criteriosamente.

Etapa 2: Identificar os riscos associados à interpretação

  • O risco de comunicação: São necessários intérpretes profissionais experientes, com conhecimento do vocabulário técnico da indústria e que também sejam capazes de lidar com sotaques estrangeiros variados e velocidades de fala. Profissionais que sejam capazes de transmitir a mensagem do orador de maneira fiel.  Caso contrário, pode ocorrer o risco de uma falha de comunicação que poderia vir a prejudicar seriamente a sua reputação. O seu fornecedor de interpretação deve ter as habilidades e os conhecimentos necessários para ajudar a evitar tal risco.
  • O risco financeiro: A elaboração do orçamento de serviços de interpretação de uma reunião multilíngue não é uma tarefa fácil. Por falta de conhecimento do mercado local, trazer intérpretes de outros lugares pode implicar custos de viagem desnecessários. A falta de experiência na organização de equipes bem integradas pode levar a contratar mais profissionais do que o necessário. O seu fornecedor de interpretação poderá ajudar a maximizar o orçamento.
  • O risco técnico: Para evitar que o material seja prejudicado, os intérpretes precisam de boas condições de trabalho e de equipamentos de material de tradução simultânea de alto nível. São necessárias cabines padronizadas e normalizadas com isolamento acústico, e som perfeito. O prestador de serviços de interpretação deve ser capaz de ajudar a escolher o fornecedor de equipamento correto.
  • O risco logístico no local: A coordenação de uma equipe multilíngue requer habilidades especiais, especialmente quando várias reuniões são realizadas em paralelo. Muitas coisas podem acontecer. Um intérprete pode adoecer. Um voo pode atrasar-se ou ser cancelado. Por vezes, o programa não é respeitado e o orçamento é estourado. Pode-se decidir acrescentar outro idioma. Um documento pode chegar no último minuto. O intérprete coordenador deve ser capaz de lidar com todas essas eventualidades de maneira calma e tranquila.

Etapa 3: Criar e implementar estratégias para gerir os riscos identificados

A estratégia de risco geralmente envolve a prevenção, transferência ou redução de riscos. Como é impossível que uma conferência multilíngue ocorra sem interpretação, a prevenção não é uma opção. O risco pode ser transferido a terceiros, a uma agência de tradução, ao organizador do local do evento ou ao fornecedor de equipamentos, por exemplo. Mas o risco permanece, pois eles não são especialistas no assunto e nem sempre o necessário conhecimento local. Mas é possível optar por reduzir o risco, indo buscar legítimos profissionais e trabalhar em conjunto com um Organizador de Interpretação que esteja familiarizado com todos os aspectos da interpretação, incluindo os menos óbvios, o que poderá ajudar a desenvolver um plano de contingência eficaz.

A Calliope-intérpretes, rede global de intérpretes membros da Associação Internacional de Intérpretes de Conferência (AIIC) é capaz de oferecer este tipo de serviço. Possuímos as habilidades e a experiência necessárias para evitar tais riscos. Trabalhe conosco para garantir que o serviço de interpretação contribua para o sucesso da sua reunião.

Partilhe este artigo: