Está a pensar em oferecer interpretação em língua de sinais na sua próxima conferência?

 | Experts

Maya de Wit, a aquisição mais recente da Calliope, representa um marco para a nossa rede. Diferentemente dos nossos outros membros, ela especializa-se em interpretação de língua de sinais (ILS). Conversamos com a Maya para saber mais sobre as características específicas da ILS y como fornecer o melhor serviço possível.

Maya interpreting in sign-language at European Commission

Maya, graças à sua presença na nossa rede, a Calliope orgulha-se de oferecer expertise em ILS para os seus clientes. Isso é especialmente importante em face ao crescente número de reuniões formais e conferências que usam ILS. Qual é o motivo desse fenômeno?

De fato, tem havido um grande aumento da procura, porém ainda há muito a fazer para conscientizar as pessoas sobre a importância da interpretação de línguas de sinais. O serviço nem sempre é fornecido, mesmo quando é necessário. Devemos lembrar que a ILS torna os eventos acessíveis tanto para aqueles que comunicam através da língua de sinais quanto para quem precisa que a sua apresentação em língua de sinais seja interpretada para uma língua oral.

Por que o aumento? Por que agora?

Principalmente porque há um reconhecimento cada vez maior de que as línguas de sinais são línguas como quaisquer outras. Essa consciência é o resultado de grandes esforços de divulgação envidados por várias associações nacionais de surdos e organizações de intérpretes de línguas de sinais, bem como, ao nível internacional, pela Federação Mundial dos Surdos (WFD) e pela Associação Mundial de Intérpretes de Língua de Sinais (WASLI). São cada vez mais os governos que reconhecem a sua língua de sinais nacional como língua oficial, se bem há ainda muito a fazer nessa seara.

A ratificação e implementação da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (UNCRPD) foram decisivas para incentivar os organizadores de conferências a contratarem intérpretes profissionais de língua de sinais em eventos públicos.

As instituições da União Europeia, particularmente a Comissão Europeia, também têm visto uma alta na procura por interpretação em língua de sinais em eventos tão diversos quanto reuniões de alto nível da Comissão e pequenos encontros de grupos consultivos. Em novembro de 2016, o Parlamento Europeu adotou uma importante resolução sobre linguagem gestual e os intérpretes profissionais de linguagem gestual.

O que deveriam saber sobre a linguagem de sinais aqueles clientes que irão usar ILS pela primeira vez?

Um fator importante que costuma ser ignorado é que a interpretação de língua de sinais não é necessária apenas durante as partes formais do evento. Contrariamente à interpretação de línguas faladas, a ILS é requisitada também durante os intervalos e sessões de networking. A minha recomendação é tomar nota das preferências dos participantes surdos na hora da inscrição. É especialmente importante averiguar o tipo de língua de sinais necessário, já que, por exemplo, a língua de sinais britânica é completamente diferente da língua de sinais americana.

Que outras dicas tem para os clientes quando solicitarem interpretação de língua de sinais ou quando forem contratar uma equipe mista de intérpretes de sinais e de línguas orais?

É imprescindível saber que línguas de sinais serão necessárias e quantos participantes irão usar cada uma delas. Deverá haver equipes separadas de intérpretes para cada língua. Se houver sessões paralelas, também serão necessários mais intérpretes.

Quando houver painéis de debate onde algum dos integrantes for usuário de língua de sinais e outros usuários estiverem na plateia, haverá necessidade de dobrar o número de intérpretes para que uma equipe fique de frente para o membro do painel e, a outra, de frente para a plateia.

Em princípio, os honorários de todos os intérpretes (de sinais e de línguas orais) são iguais, se os horários de trabalho forem os mesmos.

Os nossos clientes estão acostumados a contratar ou solicitar equipamento técnico e cabines a prova de som para interpretação em línguas orais. Imagino que as suas necessidades sejam bem diferentes, não é?

Tem razão. Os intérpretes de língua de sinais não trabalham em cabines. Eles costumam ficar ao lado do orador principal, no palco ou perto do púlpito, para serem vistos sem dificuldade. A Rede de Língua de Sinais da AIIC redigiu diretrizes [LINK TO: ] que são um recurso muito útil para técnicos e organizadores de conferências.

Muito obrigado, Maya.

Partilhe este artigo:

Sem dúvida, os conhecimentos e a vasta experiência da Maya com interpretação de língua de sinais serão um recurso valiosíssimo para a Calliope e os seus clientes. Entre em contato conosco se pretende oferecer interpretação em língua de sinais na sua próxima conferência.