Como deve funcionar a interpretação a distância?

 | Melhores práticas de interpretação

Está a organizar uma reunião mas torna-se impossível encontrar uma sala de reuniões com tamanho suficiente para as cabinas de interpretação. Talvez a solução seja de as colocar numa sala ao lado. À distância, portanto? Não propriamente. Mas siga estas orientações importantes para garantir uma boa comunicação multilíngue.  

Cabines de interpretação sendo usadas em uma conferência

Apesar das tecnologias de interpretação a distância (RSI) se estarem a desenvolver depressa, ainda não conseguem reproduzir as condições definidas pelas normas ISO para a interpretação presencial. Para conseguir o melhor desempenho  qualitativo na interpretação, é preferível os intérpretes estarem na mesma sala que os delegados. Contudo, em última instância - ou seja quando a configuração da sala não permite aos intérpretes estarem no mesmo recinto -, será possível montar as cabinas de interpretação noutra sala, desde que no mesmo edifício. À distância, portanto? Não propriamente. No entanto, não deixa de ser importante seguir certas orientações para garantir que a comunicação multilíngue funcione corretamente.  

Habitualmente, os intérpretes trabalham em cabinas fixas ou móveis na própria sala onde decorre a reunião. Devem pois ouvir os oradores perfeitamente e observar os sinais não-verbais característicos da comunicação: ver as telas com as apresentações assim como outras informações e poder, observando diretamente os ouvintes, compreender se a mensagem acabada de ser traduzida foi corretamente transmitida.

Está claro que reproduzir estas condições remotamente é difícil. O que é fundamental é garantir que a conexão de áudio e vídeo entre a sala de reunião e os intérpretes passe por um cabo interno, físico. Mas,  além disso, para garantir a qualidade do serviço de interpretação prestado, a Calliope-Interpreters recomenda o seguinte:

Organização geral

  • Antes da reunião, consulte o seu Intérprete-consultor sobre a exequibilidade do projeto e procure incluí-lo/a nas reuniões preparatórias com os organizadores da conferência, os coordenadores logísticos e os técnicos.

  • Escolha um local sossegado para colocar as cabinas de interpretação, de preferência numa sala ao lado.

  • Informe os operadores de câmara e os técnicos de som sobre o que precisam os intérpretes.

  • Mesmo que os intérpretes não se encontrem na mesma sala que os delegados, assegure-se que as mesmas informações sejam transmitidas a todos.

Configurações técnicas

  • Certifique-se que alguns técnicos estejam especificamente designados para a interpretação, tanto na sala de reuniões como junto dos intérpretes de modo a garantir o bom uso dos microfones, um som com boa qualidade e uma perfeita sincronização entre a imagem e o som.

  • A conexão de áudio deve respeitar a norma ISO 20109:2016, que garante a reprodução fiável das frequências entre 125 Hz e 15000 Hz de uma ponta à outra do sistema áudio orador-intérprete, de modo a garantir que a mensagem chegue confortavelmente aos ouvidos, sem perda de conteúdo.

  • Para certificar-se que os intérpretes têm uma boa visibilidade sobre os oradores, o público e as telas, cada cabina deve ser equipada com dois monitores de alta definição, a cores, de tamanho adequado, projetando:

    • no primeiro monitor, o apresentador e eventualmente o presidente de mesa assim como o rosto dos membros do painel se for uma mesa redonda ou uma sessão de perguntas e respostas, bem como qualquer outra pessoa no público que usar da palavra;

    • no segundo monitor, o conteúdo projetado nas telas. Se a projeção for feita a partir de um computador, será necessário uma alimentação direta entre o computador da sala e os monitores dos intérpretes para a nitidez da imagem.

Os monitores devem ser colocados ao nível dos olhos, no exterior das cabinas e frente às cabinas.

Documentação

  • Certifique-se de que todos os textos produzidos durante a reunião sejam facultados aos intérpretes assim que estiverem prontos, como por exemplo propostas, resoluções, perguntas por escrito, etc.

Claramente, a situação ideal é aquela em que os interpretes e os delegados se encontram na mesma sala. Contudo, se os constrangimentos espaciais impuserem a colocação das cabinas noutro local, a interpretação à distância poderá revelar-se uma solução prática, desde que os intérpretes se encontrem no mesmo edifício que os delegados e que o som e a imagem sejam transmitidos através de cabos físicos. Seguindo estes conselhos, poderá garantir o sucesso da sua conferência, apesar dos intérpretes estarem (ligeiramente) a distância.

A Calliope-Interpreters é uma rede mundial de intérpretes-consultores junto dos quais se pode aconselhar para garantir o sucesso da sua próxima reunião. Contate-nos para avaliarmos consigo as necessidades em termos de interpretação.

 

 

Partilhe este artigo: